Balas Que No Erram

Memorvel faroeste psicolgico realizado na Era de Ouro do Cinema Americano, original no roteiro, que une o velho bangue-bangue a bons elementos do suspense

22/05/2017 09:36 Por Felipe Brida
Balas Que N達o Erram

tamanho da fonte | Diminuir Aumentar

Balas Que Não Erram (No name on the bullet). EUA, 1959, 77 min. Faroeste. Dirigido por Jack Arnold. Distribuição: Classicline

O temível pistoleiro de aluguel John Gant (Audie Murphy), de passagem pela pequena cidade de Lordsburg, no Novo México, hospeda-se num hotel. Os moradores ouvem falar em seu nome e ficam apavorados, pois todos conhecem seu método de agir: ele chega, instala-se no local por dias até ir atrás da vítima e matá-la com um tiro certeiro, sem nunca informar quem é o alvo. Com Gant ali, as horas ficam lentas, e o medo vai tomando conta da cidade.

Memorável faroeste psicológico realizado pela Universal na Era de Ouro do Cinema Americano, original no roteiro, que une o velho bangue-bangue a bons elementos do suspense. Famoso na época, o filme deu chance a Audie Murphy demonstrar o talento à frente de um personagem central – quase sempre o ator era posto como coadjuvante, e aqui está excepcional, no melhor trabalho de sua curta carreira, encerrada de forma trágica – ele morreu aos 46 anos em um acidente de avião, em 1971.

Os pormenores da história partem da explosiva ideia central, a do pistoleiro que chega à cidade e provoca tensão nos moradores pelo seu modus operante infalível (suas balas não erram!). Ninguém tem motivo plausível para um encontro com Gant, mas por ele ser quem é, o povoado entra em paranoia, todos têm medo de sair às ruas.

O diretor Jack Arnold (1916-1992) acertou em cheio nesse faroeste exemplar, gênero que pouco explorou - ele era um mestre em fitas scifi, dirigindo mais de 10 produções com monstros e viagens espaciais nos anos 50.

Indico especialmente aos cinéfilos amantes de western clássico, que vão se deleitar, ainda mais nessa edição recém-lançada pela Classicline.

 

Linha
tamanho da fonte | Diminuir Aumentar
Linha

Sobre o Colunista:

Felipe Brida

Felipe Brida

Jornalista e especialista em Artes Visuais e Intermeios pela Unicamp. Pesquisador na rea de cinema desde 1997. Ministra palestras e minicursos de cinema em faculdades e universidades. Professor de Semitica e Histria da Arte no Imes Catanduva (Instituto Municipal de Ensino Superior de Catanduva) e coordenador do curso tcnico de Arte Dramtica no Senac Catanduva. Redator especial dos sites de cinema E-pipoca e Cineminha (UOL). Apresenta o programa semanal Mais Cinema, na Nova TV Catanduva, e mantm as colunas Filme & Arte, na rede "Dirio da Regio", e Middia Cinema, na Middia Magazine. Escreve para o site Observatrio da Imprensa e para o informativo eletrnico Colunas & Notas. Consultor do Brafft - Brazilian Film Festival of Toronto 2009 e do Expressions of Brazil (Canad). Criador e mantenedor do blog Setor Cinema desde 2003. Como jornalista atuou na rdio Jovem Pan FM Catanduva e no jornal Notcia da Manh. Ex-comentarista de cinema nas rdios Bandeirantes e Globo AM, foi um dos criadores dos sites Go!Cinema (1998-2000), CINEinCAT (2001-2002) e Webcena (2001-2003), e participa como jri em festivais de cinema de todo o pas. Contato: felipebb85@hotmail.com

Linha
Todas as mterias

Efetue seu login

O DVDMagazine mantm voc conectado aos seus amigos e atualizado sobre tudo o que acontece com eles. Compartilhe, comente e convide seus amigos!

E-mail
Senha
Esqueceu sua senha?

Não é cadastrado?

Bem vindo ao DVDMagazine. Ao se cadastrar voc pode compartilhar suas preferncias, comentar ou convidar seus amigos para te "assistir". Cadastre-se j!

Nome Completo
Sexo
Data de Nascimento
E-mail
Senha
Confirme sua Senha
Aceito os Termos de Cadastro