Uma Iniciao Literria

Uma boa dica para a garotada comear a ler: A Rainha da Neve, um livro Hans Christian Andersen que teve adaptao de Walcyr Carrasco em 2012.

17/06/2013 23:29 Por Eron Fagundes
Uma Iniciação Literária

tamanho da fonte | Diminuir Aumentar

A RAINHA DA NEVE (1845). DE Hans Christian Andersen. Recontado por Walcyr Carrasco. São Paulo, Moderna, 2012.

“Teve a impressão de que as ondas lhe respondiam, movimentando-se. Pegou então os lindos sapatinhos de que tanto gostava e atirou-os à água. Como a pequena Gerda não tinha muita força, os sapatinhos caíram perto da margem . Um redemoinho os levou de volta para a terra. A menina devia ter percebido que o rio não queria ficar com aquele presente, porque não tinha o pequeno Kay para dar em troca. Mas Gerda calculou que não atirara os sapatos longe o suficiente da margem. Vendo um bote entre os juncos, entrou nele. Da ponta da embarcação, tornou a lançar os sapatinhos na água.”

 

 

Pode-se dizer que minha iniciação literária se deu com a leitura de A rainha da neve (1845), um pequeno magistral conto (ou novela?) do dinamarquês Hans Christian Andersen. Foi no fim do ano de 1965 —o ano da grande nevasca, no meio do ano, na serra gaúcha— que a professora Volida Dalla Coletta, uma das mais inspiradas criaturas que contam histórias que conheci, me presenteou com um exemplar do livro. Motivo: depois de um primeiro semestre horroroso, nas mãos duma bonita estagiária, me recuperei com um segundo semestre excepcional e cheguei ao terceiro lugar da turma, graças ao encantamento provocado em mim pela professora Volida, que em dias fechados e de chuva ou em  vias de chuva (quando a turma de miúdos se tumultuava naturalmente) interrompia o didatismo das aulas e contava enredos mágicos de sultãos e sultanas num Oriente mítico. Lembro que li o texto de Andersen no verão de 1966, em casas de parentes em Porto Alegre, naquelas férias habituais de garoto de interior na capital; li e reli maravilhado. O exemplar, que tinha uma dedicatória da professora (talvez o primeiro elogio que alguém fez a meu cérebro, o que é até hoje meu elogio favorito, mesmo que possa estar falsificando a verdade) se perdeu nas andanças da família por aí, de casa em casa, destruído por dois irmãos menores.

Quarenta e seis anos depois, releio A rainha da neve, em reconto de Walcyr Carrasco, meditando na velha e estimada mestra. A história de Kay e Gerda, aquele amor juvenil esplendoroso entre neves imemoriais, permanece imbatível, em sua simplicidade, ingenuidade e grandeza. Reler Andersen é voltar à infância com dignidade e imbatível pudor intelectual. E curtir saudades de pessoas que me ajudaram a ser o que sou: um homem de letras, no sentido puro da expressão.

Linha
tamanho da fonte | Diminuir Aumentar
Linha

Sobre o Colunista:

Eron Duarte Fagundes

Eron Duarte Fagundes

Eron Duarte Fagundes natural de Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul, onde nasceu em 1955; mora em Porto Alegre; curte muito cinema e literatura, entre outras artes; escreveu o livro ?Uma vida nos cinemas?, publicado pela editora Movimento em 1999, e desde a dcada de 80 tem seus textos publicados em diversos jornais e outras publicaes de cinema em Porto Alegre. E-mail: eron@dvdmagazine.com.br

Linha
Todas as mterias

Efetue seu login

O DVDMagazine mantm voc conectado aos seus amigos e atualizado sobre tudo o que acontece com eles. Compartilhe, comente e convide seus amigos!

E-mail
Senha
Esqueceu sua senha?

Não é cadastrado?

Bem vindo ao DVDMagazine. Ao se cadastrar voc pode compartilhar suas preferncias, comentar ou convidar seus amigos para te "assistir". Cadastre-se j!

Nome Completo
Sexo
Data de Nascimento
E-mail
Senha
Confirme sua Senha
Aceito os Termos de Cadastro