O Maior Espetáculo da Terra

O circo está armado! Debaixo da lona colorida, o romance entre o explosivo gerente do empreendimento circense Brad Braden e a trapezista Holly será abalado com a vinda do lendário trapezista Sebastian, contratado para atrair o maior número possível de público nas apresentações. Braden, ganancioso e durão, fará de tudo para que o espetáculo não pare.

24/05/2018 23:59 Por Felipe Brida
O Maior Espetáculo da Terra

tamanho da fonte | Diminuir Aumentar

O Maior Espetáculo da Terra (The greatest show on Earth). EUA, 1952, 152 min. Drama/Romance. Colorido. Dirigido por Cecil B. DeMille. Distribuição: Classicline e Paramount Pictures

A Classicline acaba de relançar em DVD este que foi o grande ganhador do Oscar de melhor filme no ano de 1953, vencedor também do prêmio de melhor roteiro e ainda indicado em outras três categorias, diretor, figurino e edição. Irregular na forma, com resultado mediano, “O maior espetáculo da Terra” foi o penúltimo projeto do notório cineasta e produtor Cecil De Mille, que deixou um legado ímpar ao mundo da Sétima Arte com épicos memoráveis, como “Os Dez Mandamentos” (as duas versões, de 1923 e a de 1956) e “Sansão e Dalila” (1949).

Vê-se nitidamente a audácia do lendário diretor, que gerou uma obra decisiva sobre o mundo do circo, objeto raras vezes visto nas telonas. De Mille mergulhou de cabeça neste universo artístico, com tamanha magnitude de detalhes para exibir os bastidores, a preparação dos atores nas apresentações para o público, os mistérios e as perigosas façanhas dos artistas mambembes. Centraliza as ações nas disputas por espaço no picadeiro, com as rivalidades crescentes num diálogo claro entre o brilho e o ego, marcados até por violência na arena. Mas revisitando hoje, chio das falhas no roteiro, longo demais para o gosto popular, com uma infinidade de personagens envolvidos em intrigas intermináveis e nem sempre bem conduzidas. A narrativa é lenta, melhorando na parte final (antes do desfecho tem a famosa cena do desastre de trem, filmado em maquetes). Há ainda três números musicais nada empolgantes, com ritmos circenses conhecidos.

O elenco charmoso reúne nomes famosos da época, todos já falecidos, como Charlton Heston (com sua forte presença em cena como o gerente do circo), James Stewart (o ex-médico que trabalha como palhaço, que nunca tira a maquiagem, pois guarda um passado obscuro), Betty Hutton (a trapezista que divide dois amores), Cornel Wilde (o Grande Sebastian, o trapezista), Lyle Bettger (como um domador de elefantes cruel e sádico), além de Gloria Grahame, Dorothy Lamour e artistas circenses reais.

Eu não gosto de circo, por isso não me encanto com o resultado. Tirando problemas do roteiro, o filme tem seus méritos como superprodução, graças a um figurino riquíssimo e elenco de primeira. E uma legião de fãs que o considera inesquecível.

Ganhou ainda três Globos de Ouro a que foi indicado, como melhor filme de drama, diretor e fotografia. Em 2010 saiu na coleção “Clássicos Paramount” e agora sai fresquinho pela Classicline. Assista e tire as conclusões acerca deste clássico do cinema.

 

 

Linha
tamanho da fonte | Diminuir Aumentar
Linha

Sobre o Colunista:

Felipe Brida

Felipe Brida

Jornalista e especialista em Artes Visuais e Intermeios pela Unicamp. Pesquisador na área de cinema desde 1997. Ministra palestras e minicursos de cinema em faculdades e universidades. Professor de Semiótica e História da Arte no Imes Catanduva (Instituto Municipal de Ensino Superior de Catanduva) e coordenador do curso técnico de Arte Dramática no Senac Catanduva. Redator especial dos sites de cinema E-pipoca e Cineminha (UOL). Apresenta o programa semanal Mais Cinema, na Nova TV Catanduva, e mantém as colunas Filme & Arte, na rede "Diário da Região", e Middia Cinema, na Middia Magazine. Escreve para o site Observatório da Imprensa e para o informativo eletrônico Colunas & Notas. Consultor do Brafft - Brazilian Film Festival of Toronto 2009 e do Expressions of Brazil (Canadá). Criador e mantenedor do blog Setor Cinema desde 2003. Como jornalista atuou na rádio Jovem Pan FM Catanduva e no jornal Notícia da Manhã. Ex-comentarista de cinema nas rádios Bandeirantes e Globo AM, foi um dos criadores dos sites Go!Cinema (1998-2000), CINEinCAT (2001-2002) e Webcena (2001-2003), e participa como júri em festivais de cinema de todo o país. Contato: felipebb85@hotmail.com

Linha
Todas as máterias

Efetue seu login

O DVDMagazine mantém você conectado aos seus amigos e atualizado sobre tudo o que acontece com eles. Compartilhe, comente e convide seus amigos!

E-mail
Senha
Esqueceu sua senha?

Não é cadastrado?

Bem vindo ao DVDMagazine. Ao se cadastrar você pode compartilhar suas preferências, comentar ou convidar seus amigos para te "assistir". Cadastre-se já!

Nome Completo
Sexo
Data de Nascimento
E-mail
Senha
Confirme sua Senha
Aceito os Termos de Cadastro