Ascensão e Queda de um Império

Em 1398, nos primeiros anos da Dinastia Joseon, o comandante supremo Kim Min-Jae apaixona-se perdidamente por uma mulher mais nova, na medida em que enfrenta sérios desafios para o fortalecimento do reino da Coreia. A nova paixão irá desencadear intrigas e traições, e Min-Jae terá de tomar decisões vitais com seus aliados para governar com precisão o território recém-invadido

15/12/2017 21:02 Por Felipe Brida
Ascensão e Queda de um Império

tamanho da fonte | Diminuir Aumentar

Ascensão e Queda de um Império (Sunsu-ui sidae/ Empire of lust). Coreia do Sul, 2015, 113 minutos. Drama/Ação. Dirigido por Sang-hoon Ahn. Distribuição: Flashstar

Há duas décadas o cinema sul-coreano detém espaço no circuito de cinema no Brasil, pela qualidade técnica dos filmes e histórias surpreendentes, contadas por diretores visionários, em especial os de terror. Épicos de guerra também viraram moda no país asiático, vieram para cá e foram ovacionados pelo público, e “Ascensão e queda de um império” encaixa-se como um exemplar bem tradicional dessas produções, um vigoroso drama de ação com pano de fundo histórico, com fatos reais romanceados durante a Dinastia Joseon, uma das mais duradouras, que existiu na Coreia do Sul por 500 anos.

Com direção de arte deslumbrante, auxiliada por figurinos grandiosos, esta produção de orçamento alto se passa na primeira década da dinastia em questão, que foi a última da História da Coreia, marcada pela consolidação da doutrina confucionista, a aproximação com a cultura chinesa e a expansão do comércio e da tecnologia, momento crucial para o avanço do estado coreano. Por outro lado, dentro do reino sob plena reforma, haviam divergências gritantes, o caos imperava lado a lado com a violência desmedida, tudo em torno de lutas em nome da coroa, gerando traições e cobiça. Nesse contexto de descontrole social, são apresentadas duas figuras contraditórias - um rei desafiador, apaixonado pela primeira vez (por uma mulher mais nova), e um príncipe de sutil audácia, disposto a apropriar-se do trono, almejando o poder absoluto - e ambos retratam, disfarçadamente, duas autoridades máximas da Coreia, Yi Bang-won, rei da Dinastia Joseon, conhecido como Taejong, o Grande, e Jung-Na, príncipe e comandante supremo (trocaram nomes, todavia as características psicológicas foram mantidas; tem até uma chacina de cavalos, assustadora, que realmente existiu e está nos anais da História da Coreia). Todas as decisões para o andamento da história do filme passam pelo crivo destes dois personagens geniosos, representantes da ordem e da política nacional em formação – assim a obra centra a ação no pensamento do rei e do príncipe, para abrir o leque de plots e reviravoltas, bem armadas. E dá certo, pois as cenas de batalha são eficientes e empolgam, o romance fica na medida ideal e ganha créditos como um drama épico de qualidade. Quem dirige é um jovem desconhecido para nós, Sang-hoon Ahn, que em sua terra rodou outros quatro filmes (nenhum lançado aqui).

Infelizmente ninguém soube do filme - no Brasil veio diretamente em home vídeo, pela Flashstar, oportunidade de agora o público assistir para conhecer os antepassados desse importante país da Ásia Oriental. Já em DVD. Indicação de primeira!

 

 

Linha
tamanho da fonte | Diminuir Aumentar
Linha

Sobre o Colunista:

Felipe Brida

Felipe Brida

Jornalista e especialista em Artes Visuais e Intermeios pela Unicamp. Pesquisador na área de cinema desde 1997. Ministra palestras e minicursos de cinema em faculdades e universidades. Professor de Semiótica e História da Arte no Imes Catanduva (Instituto Municipal de Ensino Superior de Catanduva) e coordenador do curso técnico de Arte Dramática no Senac Catanduva. Redator especial dos sites de cinema E-pipoca e Cineminha (UOL). Apresenta o programa semanal Mais Cinema, na Nova TV Catanduva, e mantém as colunas Filme & Arte, na rede "Diário da Região", e Middia Cinema, na Middia Magazine. Escreve para o site Observatório da Imprensa e para o informativo eletrônico Colunas & Notas. Consultor do Brafft - Brazilian Film Festival of Toronto 2009 e do Expressions of Brazil (Canadá). Criador e mantenedor do blog Setor Cinema desde 2003. Como jornalista atuou na rádio Jovem Pan FM Catanduva e no jornal Notícia da Manhã. Ex-comentarista de cinema nas rádios Bandeirantes e Globo AM, foi um dos criadores dos sites Go!Cinema (1998-2000), CINEinCAT (2001-2002) e Webcena (2001-2003), e participa como júri em festivais de cinema de todo o país. Contato: felipebb85@hotmail.com

Linha
Todas as máterias

Efetue seu login

O DVDMagazine mantém você conectado aos seus amigos e atualizado sobre tudo o que acontece com eles. Compartilhe, comente e convide seus amigos!

E-mail
Senha
Esqueceu sua senha?

Não é cadastrado?

Bem vindo ao DVDMagazine. Ao se cadastrar você pode compartilhar suas preferências, comentar ou convidar seus amigos para te "assistir". Cadastre-se já!

Nome Completo
Sexo
Data de Nascimento
E-mail
Senha
Confirme sua Senha
Aceito os Termos de Cadastro
30 fotos grátis na 1a compra BF3