RESENHA CRÍTICA: Medo Profundo (47 Metres Down)

O filme é repetitivo e o final não convence

08/03/2018 13:33 Por Rubens Ewald Filho
RESENHA CRÍTICA: Medo Profundo (47 Metres Down)

tamanho da fonte | Diminuir Aumentar

Medo Profundo (47 Metres Down)

EUA, 17. 1h29min. Direção de Johannes Roberts. Com Mandy Moore, Matthew Modine, Claire Holt, Chris Johnson, Santiago Segura, Yani Gellman.

Ano passado fez inesperado sucesso um filme curioso e bem feito sobre tubarões Águas Rasas, The Shallows, que foi bem recebido pela critica e público, por duas razões. O diretor era competente, o espanhol Jaume Collet Serra. E conseguiu manter um clima de terror e suspense que funcionou muito bem. Também por que a heroína que aparecia praticamente sozinha, Blake Lively também dava conta do recado. Logicamente alguém viria a fazer uma história semelhante e foi assim que surgiu este suspense semelhante e inferior. A direção é de um certo Johannes Roberts, britânico, do qual passou aqui apenas Do Outro lado da Porta, 16, onde mãe tenta ressuscitar um filho morto com um ritual. Elenco praticamente desconhecido e renda muito baixa. Desta vez foi um pouco mais feliz (44 milhões de bilheteria) também porque Tubarão é uma mania norte americana total desde o famoso filme Tubarão de Spielberg, sem dúvida uma obra-prima.

Aqui eles chamaram ao menos uma simpática cantora e atriz sucesso agora também na série de TV de êxito total This is Us. Falo de Mandy Moore, também cantora de longa carreira e que aqui tem a coragem de se meter debaixo d´água. São duas irmãs passando férias no México que ficam presas dentro de uma gaiola de ferro (daquelas usadas por câmeras men que aproveitam para filmar os bichos com menos perigo e aparelhos de respiração). Tem apenas uma hora de oxigênio e os grandes tubarões brancos ficam circulando e atacando os ferros. Precisam então lutar pela sobrevivência...

Fiquem já sabendo que é inferior ao outro e que os especialistas no assunto dizem que está tudo errado porque na profundidade em que elas estão no máximo sobreviviriam 15 minutos. De qualquer forma, temos que louvar a coragem das moças que mesmo com proteção passaram momentos assustadores, ao menos eu nunca as imitaria em hipótese alguma. Outra curiosidade, o filme foi feito em 2016 (primavera) e era da malfada Weinstein! Mas acabou sendo comprada por outra empresa, a Byron Allen, que mudou o titulo (se chamava In the Deep) e resolveram lançá-la no verão de 17. Outro detalhe, o ator de TV James Van Der Beek fazia papel da namorada de Mandy e filmou varias cenas com ela. Não sei por que tudo foi eliminado! Claire Holt que faz Kate apareceu em Pretty Little Liars da HBO.

De qualquer forma, o filme é repetitivo e o final não convence.

Linha
tamanho da fonte | Diminuir Aumentar
Linha

Sobre o Colunista:

Rubens Ewald Filho

Rubens Ewald Filho

Rubens Ewald Filho é jornalista formado pela Universidade Católica de Santos (UniSantos), além de ser o mais conhecido e um dos mais respeitados críticos de cinema brasileiro. Trabalhou nos maiores veículos comunicação do país, entre eles Rede Globo, SBT, Rede Record, TV Cultura, revista Veja e Folha de São Paulo, além de HBO, Telecine e TNT, onde comenta as entregas do Oscar (que comenta desde a década de 1980). Seus guias impressos anuais são tidos como a melhor referência em língua portuguesa sobre a sétima arte. Rubens já assistiu a mais de 30 mil filmes entre longas e curta-metragens e é sempre requisitado para falar dos indicados na época da premiação do Oscar. Ele conta ser um dos maiores fãs da atriz Debbie Reynolds, tendo uma coleção particular dos filmes em que ela participou. Fez participações em filmes brasileiros como ator e escreveu diversos roteiros para minisséries, incluindo as duas adaptações de “Éramos Seis” de Maria José Dupré. Ainda criança, começou a escrever em um caderno os filmes que via. Ali, colocava, além do título, nomes dos atores, diretor, diretor de fotografia, roteirista e outras informações. Rubens considera seu trabalho mais importante o “Dicionário de Cineastas”, editado pela primeira vez em 1977 e agora revisado e atualizado, continuando a ser o único de seu gênero no Brasil.

Linha

relacionados

Todas as máterias

Efetue seu login

O DVDMagazine mantém você conectado aos seus amigos e atualizado sobre tudo o que acontece com eles. Compartilhe, comente e convide seus amigos!

E-mail
Senha
Esqueceu sua senha?

Não é cadastrado?

Bem vindo ao DVDMagazine. Ao se cadastrar você pode compartilhar suas preferências, comentar ou convidar seus amigos para te "assistir". Cadastre-se já!

Nome Completo
Sexo
Data de Nascimento
E-mail
Senha
Confirme sua Senha
Aceito os Termos de Cadastro