RESENHA CRTICA: O Cu de Verdade (Heaven is for Real)

Inspirado em fatos reais, Heaven is for Real rendeu um livro que ficou muito tempo dentre os mais vendidos do New York Times

01/07/2014 12:48 Por Rubens Ewald Filho
RESENHA CRÍTICA: O Céu é de Verdade (Heaven is for Real)

tamanho da fonte | Diminuir Aumentar

O Céu é de Verdade (Heaven is for Real)

EUA, 14. 99 min. Direção e roteiro de Randall Wallace. Com Greg Kinnear, Kelly Reilly, Thomas Haden Church, Margo Martindale, Connor Corum, Lane Styles.

 

Todo mundo sabe desde a versão da Paixão de Cristo de Mel Gibson, que existe um público que gosta de consumir filmes sobre temática religiosa, em particular os crentes protestantes (que fez parte do sucesso de Noé, mas rejeitou o recente A Vida de Cristo, acho que simplesmente porque não gosta de ser enganado. A série já havia sido mostrada na TV e tinha má qualidade!).

Na verdade, os filmes do gênero (porque já é um gênero) têm vários saído em DVD e padecem de um orçamento muito pobre e realizadores amadores, que podem estar cheios de boa vontade. Mas não de talento. Este aqui é uma clara exceção, já que vem assinada por Randall Wallace, roteirista e diretor de Coração Valente (aquele que é amigo do próprio Gibson para quem fez também um drama de guerra Fomos Heróis, O Homem da Mascara de Ferro com Leo di Caprio, o filme de cavalos Secretariat e ainda escreveu o script de Pearl Harbor).

Inspirado em fatos reais, Heaven is for Real rendeu um livro que ficou muito tempo dentre os mais vendidos do New York Times. O afável Greg Kinnear é a escolha certa para viver o pregador do interior, Todd Burpo, que precisa encontrar coragem para espalhar a notícia que seu filho pequeno, de quarto anos garante ser verdadeira. Acho que o sucesso do filme (que custou 12 milhões de dólares e até o momento rendeu perto de 90! Só agora esta entrando no mercado externo, com 3 milhões) se deve a feliz escolha do elenco. Não apenas Kinnear  que é um ator aberto, simpático e não tem em qualquer momento qualquer sinal de presunção ou dono da verdade. Estão todos muito naturais, mas o maior achado é o menino que faz a figura chave, Colton (o novato Connor, um estreante que não pode ser bonito e ter olhos azuis mais expressivos. Ninguém poderia achar que aquele garoto está mentindo!

 O problema com este tipo de filme é que ele já é um sermão encomendado, já se prega para os convertidos. No caso, um menino sofre uma crise grave de apendicite que o leva a ser operado as pressas, então seria um daqueles casos de “quase morte”. Quando ele retorna, aos poucos vai contando para os pais da experiência que teve no céu. Descreve o lugar, a figura de Jesus (o céu é visto apenas em uns poucos detalhes), conta para eles coisas que não tinha como saber e aos poucos vai os assustando, deixando-os com medo de espalhar a história que pode ser mal interpretada. Até porque psicólogos afirmam que pode ter outras origens.  Mas com um garoto daqueles e o cuidado do roteiro em nos fazer conhecer e ser envolver (são vinte e tantos minutos até o incidente grave) com a família, fica difícil pensar em má fé.

Mas é claro que isso vai depender de sua crença. Se não acredita aconselho a nem perder tempo. Porém, se for sua fé, o filme é bem feitinho, coloca prós e contras, não é apelativo. Como sempre tudo é questão de fé.

Linha
tamanho da fonte | Diminuir Aumentar
Linha

Sobre o Colunista:

Rubens Ewald Filho

Rubens Ewald Filho

Rubens Ewald Filho jornalista formado pela Universidade Catlica de Santos (UniSantos), alm de ser o mais conhecido e um dos mais respeitados crticos de cinema brasileiro. Trabalhou nos maiores veculos comunicao do pas, entre eles Rede Globo, SBT, Rede Record, TV Cultura, revista Veja e Folha de So Paulo, alm de HBO, Telecine e TNT, onde comenta as entregas do Oscar (que comenta desde a dcada de 1980). Seus guias impressos anuais so tidos como a melhor referncia em lngua portuguesa sobre a stima arte. Rubens j assistiu a mais de 30 mil filmes entre longas e curta-metragens e sempre requisitado para falar dos indicados na poca da premiao do Oscar. Ele conta ser um dos maiores fs da atriz Debbie Reynolds, tendo uma coleo particular dos filmes em que ela participou. Fez participaes em filmes brasileiros como ator e escreveu diversos roteiros para minissries, incluindo as duas adaptaes de “ramos Seis” de Maria Jos Dupr. Ainda criana, comeou a escrever em um caderno os filmes que via. Ali, colocava, alm do ttulo, nomes dos atores, diretor, diretor de fotografia, roteirista e outras informaes. Rubens considera seu trabalho mais importante o “Dicionrio de Cineastas”, editado pela primeira vez em 1977 e agora revisado e atualizado, continuando a ser o nico de seu gnero no Brasil.

Linha
Todas as mterias

Efetue seu login

O DVDMagazine mantm voc conectado aos seus amigos e atualizado sobre tudo o que acontece com eles. Compartilhe, comente e convide seus amigos!

E-mail
Senha
Esqueceu sua senha?

Não é cadastrado?

Bem vindo ao DVDMagazine. Ao se cadastrar voc pode compartilhar suas preferncias, comentar ou convidar seus amigos para te "assistir". Cadastre-se j!

Nome Completo
Sexo
Data de Nascimento
E-mail
Senha
Confirme sua Senha
Aceito os Termos de Cadastro