728x90 Aniversário Americanas

Entrevista exclusiva com VINCE VAUGHN sobre o filme Encontro de Casais

Leia o que disse o ator Vince Vaughn sobre aas filmeagens e os bastidores do filme Encontro de Casais

03/10/2012 15:37 Por Redação
Entrevista exclusiva  com VINCE VAUGHN sobre o filme Encontro de Casais

tamanho da fonte | Diminuir Aumentar

De onde surgiu a idéia de Encontro de Casais?
Eu faço filmes para as pessoas se divertirem, e pensei que seria engraçado pegar um monte de pessoas normais e dar a cada uma delas uma espécie de problema. Você sabe, existem esses encontros de corporações; então, eu pensei que poderíamos fazer com casais. A grande pergunta é: O que faz um relacionamento dar certo?

E para descobrir isso você coloca quarto casais em uma ilha exótica.
É uma espécie de lugar misterioso comandado por Jean Reno, que os coloca em um curso de obstáculos. Assim, podemos nos divertir com aqueles dilemas relacionáveis que todos temos em nossos relacionamentos e no final das contas encontrar esperança e entregar algum otimismo.

Você sabia que Jean Reno era tão engraçado?
Eu sabia que ele era talentoso! Ele é ótimo em tudo que eu já vi dele, como O Profissional. Foi idéia do Peter Billingsley’s [diretor] selecionar ele para o elenco, mas eu rapidamente concordei. Eu acho que Jean é engraçado porque ele é tão sério e comprometido em fazer coisas que são loucas, e ele realiza isso com toda uma confiança.

Deve ter sido difícil em momentos manter uma expressão impassível perto dele e do resto do elenco.
Sim, especialmente com John Michael Higgins, que interpreta nosso terapeuta, porque ele é tão esperto e ótimo na improvisação. Ele sempre me destruía! Tentar manter o rosto impassível enquanto ele analisava Malin e eu como um casal foi muito duro.

Como foi trabalhar com Malin Akerman?
Malin é uma atriz excelente. Eu tinha visto ela em Antes Só do que Mal Casado e eu achei seu desempenho muito corajoso. Eu acho que ela faz um trabalho ótimo na hora de firmar o filme porque sua personagem é tão relacionável. Você realmente torce e se importa por Ronnie. Eu achei que tivemos uma boa química, e a verdade é que ela é muito calma, não dá trabalho e possui muita consideração com outras pessoas – o que a torna uma ótima pessoa para trabalhar junto.

Como você descreveria seu personagem e seu casamento?
Eu acho que Dave é alguém que ama sua esposa e filhos, mas encontra-se sob constante pressão para proporcionar coisas para sua família. E ao colocar eles primeiro de certa forma ele tem colocado seu casamento por ultimo, porque eles tem sido tão focados nas coisas que precisam ser feitas que eles deixaram de se divertir um com o outro. Então, como muitas pessoas por aí, ele precisa tomar cuidado para não esquecer a pessoa com quem está em uma relação. Eu acredito que a viagem para a ilha é um bom despertar para eles.

Você escreveu Encontro de Casais com Dana Fox e Jon Favreau – que por sua vez é casado com Kristin Davis no filme.
Eu conheci Jon em Rudy, e nós colaboramos muito desde então. Improvisar com ele é fácil porque ele é tão engraçado e talentoso. Mas o interessante sobre Kristin é que você nunca realmente viu ela em um papel como este antes, como ela está interpretando uma personagem um pouco mais promíscua. Ela é realmente boa com comédia e timing, e eu sabia que ela seria ótima.

Faizon Love forma um casal engraçado com a jovem Kali Hawk.
Faizam é um cara genuinamente adorável que dominou seu personagem, e sua química com Kali é ótima.

E aí você juntou Kristen Bell com Jason Bateman.
Kristen é uma atriz muito boa e eu pude vê-la com a pessoa tipo A que ela interpreta, porque ela é tão comprometida e adorável. E Jason Bateman é um tremendo ator que possui ótimo timing cômico. Como Peter Billingsley, ele cresceu no ramo e é simplesmente um mega-talento. Jason faz com que o trabalho de todos fique mais fácil e, acima de tudo isso, ele é um ótimo cara.

Você gosta de se cercar com pessoas talentosas.
Sim, porque isso eleva tudo com certeza, o que é tão importante em filmes de relacionamento. Em Separados pelo Casamento Jennifer Aniston e eu fomos no mesmo nível e eu também driblei com Isla Fisher em Penetras Bons de Bico. Eu acho relacionamentos e a dinâmica entre duas pessoas algo engraçado, e não só uma pessoa conversando com a outra. Como tentamos manipular um ao outro e somos incompreendidos é o que faz uma boa comédia.

E as crianças são ótimas também!
Você não consegue parar essas crianças! Você pode ser engraçado o que for, mas no momento que você joga uma criança adorável na cena acabou, por que se tornou a cena dela. E Peter Billingsley, tendo sido um ator infantil no seu tempo, realmente soube como conversar com elas e o que extrair deles.

Encontro de Casais marca a estreia de Peter Billingsley como diretor, um homem que conhece e com quem trabalhou há anos.
Peter é tão esperto e, como cresceu no ramo do Cinema, não há nenhum aspecto de filmagem que não compreenda. Eu tenho colaborado com ele por um longo tempo e ele é um bom amigo.

O quanto improvisaram durante as filmagens?
Nós gostávamos de tentar coisas diferentes e ver como reagiríamos a elas. Eu simplesmente amo tentar coisas e depois descobrir o que faz sentido.

Com tanta filmagem, deve ter sido um filme difícil para editar.
Sim, porque nós acabamos com um monte de material, mas nós tínhamos um ótimo montador em Dan Lebental – que cortou Um Duende em Nova York, Separados pelo Casamento, Homem de Ferro e meu documentário The Wild West Show.

Porque filmaram o filme em Bora-Bora?
Por que queríamos achar um lugar que fosse mágico e excepcional do qual as pessoas não conheciam antes. E foi tão inacreditável! Eu cresci em um lugar que era plano e frio que não poderia ter sido mais o oposto de Bora-Bora.

E quais tipos de desafios filmar em um paraíso como aquele foram impostos sobre você como produtor?
A logística era praticamente impossível porque o lugar não possuía qualquer infra-estrutura para a filmagem. Minha irmã Victoria comandou muito disso e foi muito desafiador porque tudo tinha que ser voado para a ilha, mas no fim das contas conseguimos.

Você de fato chegou a nadar com tubarões?
Sim, e eu nunca achei que eu faria algo assim porque eu sempre tive medo do oceano. O medo é que – depois de assistir Tubarão e aqueles filmes – os tubarões irão atrás de você, mas por sorte não é bem assim. Eu tenho que admitir que de início foi um alívio ter passado a experiência, e depois eu me senti confortável e realmente me diverti. Eu acho que isso acontece com todos nós com coisas que não conhecemos até que você começa a ficar confiante. E vamos admitir; eu não queria ser o cara que não conseguiria fazer!

Encontro de Casais possui muitos momentos engraçados e até “ultrajantes”. Qual foi o seu preferido?
Eu não sei, foram tantos: quando entram no quarto e Jon diz estar passando loção; as cenas com as crianças; e eu amo Carlos, que interpreta o instrutor de ioga.

Carlos Ponce é hilário!
Ele realmente é, e ele criou esta personalidade maior que a vida que é simplesmente um personagem muito divertido.

Eles dizem que a comédia é o gênero mais difícil porque você nunca sabe de fato o que funcionará.
É muito subjetivo, apesar de eu achar que tenho uma boa média no jogo ao entender coisas comuns que todos nós passamos e ao me cercar de pessoas engraçadas. Mas é também verdade que às vezes o que você não planejou acaba sendo a coisa mais engraçada de todas!!

(LEIA A RESENHA DO DVD "ENCONTRO DE CASAIS")

Linha
tamanho da fonte | Diminuir Aumentar

relacionados

Todas as máterias

Efetue seu login

O DVDMagazine mantém você conectado aos seus amigos e atualizado sobre tudo o que acontece com eles. Compartilhe, comente e convide seus amigos!

E-mail
Senha
Esqueceu sua senha?

Não é cadastrado?

Bem vindo ao DVDMagazine. Ao se cadastrar você pode compartilhar suas preferências, comentar ou convidar seus amigos para te "assistir". Cadastre-se já!

Nome Completo
Sexo
Data de Nascimento
E-mail
Senha
Confirme sua Senha
Aceito os Termos de Cadastro
_250x250 tv gearbest, frete grátis, smart, gadgets, eletrônicos consumíveis, inteligente, dispositivos, promoção, descontos Generico_250x250